Loading...

domingo, 28 de maio de 2017

caros coxinhas

Eu sei, caros coxinhas, que ensinaram vcs que os pobres é que são o perdedores, mas veja bem. Não é sobre ter grana. Muita gente nasce e morre sem ter tido grana . É sobre perder a noção da realidade. E nós que temos menos grana conhecemos muito mais a realidade que vcs. E como vcs não tem tanta grana assim, senão estariam morando em um lugar mais seguro. Vcs tbm não conhecem a realidade do que é ter grana de verdade, e principalmente viver num lugar onde todos tem(ou ninguém tem tbm, pois é nesses lugares que se descobre a realidade do ser humano. nos extremos, depois de ter saído da meiúca).
a questão é que quem não sai da meiúca mental nunca vai além do que o papai e a mamãe ensinaram (e isso tbm era meiúca).
no fim , perdedor é quem perde a noção de que o rico é privilegiado, e mormente não fez força pra ser rico, mas teve pais ricos (ou nobres), o classe média tem que se alienar se não quiser enlouquecer tentando subir a lacuna quase impossível entre médio e rico. (exceção pros classe média que nascem ricos e caem , pois quanto mais aguda fica a montanha social, mais classe altas caem para média e menos sobem para alta, muitos classes médias caídos não querem mais ser ricos, eles devem saber alguma coisa que não sabemos a respeito... ahahahahahahahahahahahaha! tipo o efeito colateral. ).
E pobres, como nós, quando temos chance de melhorar, na maioria das vezes não sabem o que fazer com isso, pois não há (NÃO HÁ) um modelo de educação que ensine pobre a ficar rico. Pobre não tem culpa do que acontece numa sociedade onde a renda fica excluída das mãos da maioria. (comparativamente é absurda a diferença de renda da parte de baixo da classe média e dos ricos da classe alta. o dinheiro que poderia resolver as coisas fica na mão de mais ou menos 1%. Isso mesmo, cerca de metade da grana, é dividida entre os um por cento mais ricos. O pobres , nem se quebrarem tudo, conseguem colocar a mão nessa grana. Metade de tudo. E isso não é dos governos. É dos ricos.
Não é da classe média. É dos ricos. Não é minha . É dos ricos. 
não perdedor não é quem tem pouco ou muito dinheiro.
Perdedor é quem junto com os pobres, classes médias, média-alta, e ou menos ricos, nem percebe que fica excluído da chance de melhorar o mundo em que vive, no que tange a tecnologia e infra-estrutura, e acha superimportante a opinião do seu mestre, do seu repórter, do seu padre, que tbm não vai poder mudar mais nada. 
Nessa altura da realidade. Vencedor aqui em baixo é que sabe que perdeu, que tem pouquíssima chance de reconquistar a própria REALIDADE, e mesmo assim não desiste. E perdedor é qualquer hipnotizado esperançoso, por promessa ou propaganda. Que não consegue ir além do que papai e mamãe ensinaram quando a vida era melhor. Perdedor é quem não sabe que sempre foi ruim para os pobres e miseráveis. Mas que está piorano. E são esses merdas desinformados é que ajudam , ou não atrapalham a piorar mais. #mundiça e não é sobre ter grana. vc pode ter grana e não ser coxinha... é sobre tomar vergonha. 
DABC.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

mais que nada

quando estou tocando, escrevendo ou pintando, estou mudando o mundo. o quanto, não importa. é "mais que nada".

terça-feira, 23 de maio de 2017

Entenda

O estrangeiro nunca vai entender o brasileiro. Porque os estrangeiros temem a guerra e a fome, deuses e demônios. Enquanto que o que o brasileiro teme é se tornar um dos arquétipos do Nelson Rodrigues.

sábado, 20 de maio de 2017

videotacracia

é o nome dessa bosta de sistema ...

Uma coisa

Uma coisa relativa que eu pensei nesse instante.
Foi um  refletir lindo.
Paradoxal e incessante.
Eu achei proporcional ao momento inusitado.
Que algo tão belo e sublime me fosse assim revelado.
Como algo que se expande.
Como o som dos elefantes.
Com tom calmo e conclusão elegante.
Abriu-se como cortinas e ressoou num estanque.
Nas lufadas da minha boca.
No perfume inebriante.
Porém já completo no significante.
Restou-me o estranho comentário redundante :
-Maconha não dá onda... Pfuuuuuuu... Depois de fumar Skunk.

Mundofeliz para todos!

Humildade na riqueza e disciplina na pobreza.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Negação

Muitos momentos cruciais da minha vida se baseiam em observar o que serei ao tomar tal atitude, e me negar a ser aquilo, custe o que custar, e torne-me o que eu me tornar.
A negação não me levou a ser quem eu queria, mas sempre de me tornar algo que eu não queria, nem quero, nem nunca hei de querer me tornar.
Se for pra me decepcionar comigo no passado, nego o futuro, ainda no presente.
Não  sei se serei sempre o que quero, mas definitivamente pude e posso escolher o que não ser.