Loading...

segunda-feira, 21 de maio de 2018

O primeiro
Faz você ficar parado.
O segundo
Te faz amanhecer inchado
O terceiro
È melhor nem te falar
Apenas não seja o último
E deixe o penúltimo pra lá.

Dista

As distâncias surgem por diversos fatores e circunstâncias. Diminuem por diversas razões e afetos. Aumentam por inúmeras dúvidas e negativas. Não se criam em um momentum. Nem se desaparece com distâncias em uma inconstância. São superadas apenas pela disposição e o sim. )

Dúvida?

A dúvida causa o coçar: Será que se coçou pela dúvida? Na dúvida, o piolho ri: "A próxima te dará certeza." Mas a dúvida se adianta: "O pi-olho ri do alimento?" E tu porque se coças no olho? Piolho do olho? Ri? Coça? É a dúvida ou o Pi? Se ri o Pi, o riolho rirá. Ripolho, há! aha

sábado, 19 de maio de 2018

Eu guimba.

Queria ser esse cigarro que acendes, pra te matar lentamente de câncer, destruindo teu viço e tua beleza, enquanto me consumo, em tua boca que me suga e assopra, tua mão que me usa, e finalmente sob teu pé, que me pisa e extingue.

sexta-feira, 18 de maio de 2018

começo.

Desespero.
Acompanham as notícias ,
 mas não pensem que é tudo a mesma delícia.

O salgado do preço é diferente do azedo
                                                        começo,
Que sai amargo, quando no tempo
                                                         não deixa
Perceber a doce malícia que leva
                            ao destempero.

Anomalias

Linhas de uma membrana em teorias de cordas, Beethoven martelava certo por escutas tortas, Que pra rimar com notas na companhia que não estorva, tem que ficar sereno com hipóteses sem provas. Quem fala de terra oca não, não dorme de toca e estuda demais. Espeleologia, espeluncologia, vernáculo. Com todo respeito lembramos do que nos contavam nossos ancestrais No boca a boca, Salvando seu destino Puxou o Zé do Fino de sobre a prancha pra ficar rindo A lava que extravasa lá da boca do vulcão Pode extravasar o pensamento de um cristão Em estado crítico Criticando uma argola de fumaça, Enquanto o cheiro do enxofre representa outra cachaça Uma cachaça no bar já bebi. Com os pés humildes descalços, um preto velho ouvi. Se se apertar não vá chorar por aí Pode voltar no meu terreiro, não dê piti. Chuva de lata, caem os satélites velhos dos céus. Quem diria que o objeto ainda marcaria o anel. A carta selando o selo de cera derretida no cadinho. A mão mais fria que o anel. Inesperado desatino. Magma subindo e o metal caindo. Queda programada, o bólido fervente efervescendo-se na água. O Astronauta suspirando, auto acudido, Em sua nova base, mesma órbita, de bandido. Na marginalidade do humano ser, Sem gravidade vendo a esperança renascer. Tudo belesma, o baseado queima no bong intergalactico Veias se dilatam e o coração fica mágico. Mesmo sabendo de todos os cálculos. Desprezando o resultado financeiro esperado em relação aos metais pesados. Aferimos que os resultados da experiência são válidos.

terça-feira, 15 de maio de 2018

rir com a mamãe. :)

ainda te conto das minhas terapias contra deprê persistente. 43 anos de sucesso. nascer chorando prar rir depois com a mamãe.