Loading...

terça-feira, 31 de maio de 2011

convite indireto.

Abri a janela e gritei:
-Heeeey!!! vem aquiiiii!!!
Ninguém veio.
Entendi.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Sentido!!!

Não via sentido em ter que fazer sentido,
até pra corneta,
quando era soldado.
Resolvi voltar a ser artista.
Pois artista não tem que fazer sentido...

segunda-feira, 23 de maio de 2011

uma palavra

mundofeliz é uma palavra só, mas não é só uma palavra...

quinta-feira, 19 de maio de 2011

piada

Um soldado chega numa trincheira de guerra, muito cedo na madruga antes da alva, e diz numa voz muito baixa, quase sussurando para o cabo:
-Seu Cabo, acabou a guerra.
O Cabo então diz, também sussurrando, para o sargento:
-Sargento, acabou a guerra.
O sargento então diz, também sussurrando, para o tenente.
-Tenente, acabou a guerra.
O tenente então diz, também sussurrando, para o capitão.
-Capitão, acabou a guerra.
O capitão então diz, também sussurrando, para o coronel.
-Coronel, acabou a guerra.
O coronel então diz, também sussurrando, para o major.
-Major, acabou a guerra.
O major então diz, também sussurrando, para o general.
-General, acabou a guerra.
Então o general diz sussurrando para o major:
-Se acabou a guerra por que você está falando baixo?
o major diz sussurrando para o coronel:
-Se acabou a guerra por que você está falando baixo?
O coronel diz sussurrando para o capitão:
-Se acabou a guerra por que você está falando baixo?
O capitão diz sussurrando para o tenente:
-Se acabou a guerra por que você está falando baixo?
O tenente diz sussurrando para o sargento:
-Se acabou a guerra por que você está falando baixo?
O sargento diz sussurrando para o cabo:
-Se acabou a guerra por que você está falando baixo?
E o cabo, ainda sussurrando, diz finalmente para o soldado:
diz para o coronel:
-Se acabou a guerra por que você está falando baixo?
E o soldado responde:
-É que eu sou rouco assim mesmo.

Importante

NINGUÉM É MAIS IMPORTANTE QUE VC.
NINGUÉM É MAIS IMPORTANTE QUE EU.
NINGUÉM É MAIS IMPORTANTE.
TODOS SÃO IMPORTANTES.
IMPORTE-SE.

hERÓIS

MEUS ANTI- HERÓIS, CHAMADOS POR VOCÊS DE MEUS HERÓIS, MORRERAM DE OVERDOSE, MAS OS SEUS HERÓIS, A QUEM EU CHAMO DE TRAIDORES, LHES MATAM DE VERGONHA.

(homenagem a Cazuza)

Coração

Coração não pensa. Sabe.

Entre lugares

A estrada é sempre nada entre um lugar e outro.
Esse nada em nenhum lugar,
Um lugar, entre um lugar e outro,
Com direções infinitas e múltiplas encruzilhadas,
Levará sempre a todos os lugares.
Nenhum lugar é como é lugar nenhum.
Pois além de lugar nenhum,
só restam todos os lugares.
E além de todos os lugares,
Lugar nenhum.
A estrada.
Pois além de lugar nenhum, só restam todos os lugares.
E além de todos os lugares, lugar nenhum.
Pois além de lugar nenhum, só restam todos os lugares.
E além de todos os lugares, lugar nenhum.
Pois além de lugar nenhum, só restam todos os lugares.
E além de todos os lugares, lugar nenhum.
Pois além de lugar nenhum, só restam todos os lugares.
E além de todos os lugares, lugar nenhum.
Pois além de lugar nenhum, só restam todos os lugares.
E além de todos os lugares, lugar nenhum.
Pois além de lugar nenhum, só restam todos os lugares.
E além de todos os lugares, lugar nenhum.
Pois além de lugar nenhum, só restam todos os lugares.
E além de todos os lugares, lugar nenhum.
Pois além de lugar nenhum, só restam todos os lugares.
E além de todos os lugares, lugar nenhum.
A estrada.
Só não se perca nela.
E não se perca entre eles.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

sobre os que procuram defeitos

Quando alguém chega procurando defeitos em mim com uma lupa fico morrendo de pena , pois sei que ela também vê seus próprios defeitos com a mesma lente de aumento...

domingo, 8 de maio de 2011

CASTELO DE PEDRAS

Um certo viajante, após uma longa caminhada, chegou a um lindo jardim e ao longe via-se um grande castelo.
O Jardineiro estava logo na entrada e cuidava com muito carinho das flores que ali estavam. O viajante perguntou:
-Porque cuidas tão afetuosamente destas flores?
-São meu maior tesouro - repondeu o jardineiro - são as flores que me atiram no meu estpetáculo diário. Sou artista de rua faz muito tempo e sempre sou muito aplaudido.
- De que é o espetáculo?
- Sou palhaço.
- Você é o palhaço? Não te reconheci sem a maquilagem! Sempre gostei muito dos seu números!
- Muito grato!
- E aquele castelo? você trabalha para o dono dele?
- O castelo é meu, eu o construo com as pedras que me atiram, também nos espetáculos.
- Caramba, então você ganha muito mais pedradas que flores!
- Não meu amigo, é que daqui não dá pra ver todas as flores. Quer vir ao meu castelo?
O viajante assentiu e foram andando até lá.
-quer dizer que me atirou flores?- continuou.
-Não tinha flores, lhe atirei dinheiro.
-Dinheiro é um enigma, nunca sei se são flores ou pedras. Agora sei que o seu eram flores. Muito grato, novamente!

Ao chegar ao castelo o viajante reparou que não havia ali outros moradores e perguntou:
- Por que não tem mais ninguém aqui?
- O Castelo é muito frio, nem mesmo eu moro aqui, tenho uma choupana bem na próxima colina.
- E por que então mantém o castelo? - Perguntou enquanto subiam as escadas.
E ao chagar na torre mais alta, o agora reconhecido rei-palhaço disse:
-Somente do alto de todos insultos vemos melhor a extensão das flores atiradas. Pois estas sempre parecem pequenas perto daqueles. Subindo aqui eu posso ver todas, mas é muito frio e só, para ficar perto delas tenho que descer e pôr os pés no chão. Só assim para sentir o perfume.
E apontou para a colina, onde ao longe muito longe se via a casinha do anfitrião, humilde, com sua esposa cuidando de suas crianças e seus amigos animais. tudo cercado por muitas flores até o horizonte. Ficou surpreso pela quantidade e variedade de flores que haviam lá e mais ainda pela extensão do jardim. E foi tambem a casa do palhaço-rei conhecer sua família e seus amigos. Que eram todos muito felizes.
Seguiu seu caminho e um dia, passando nas ruas da cidade, fez questão de atirar flores ao palhaço que ali se apresentava. Agora ele sabia que o palhaço também era um rei. Só que sem súditos, apenas com sua família, seus amigos, suas flores e seu castelo.
E aprendeu a plantar flores e e guardar pedras.

domingo, 1 de maio de 2011

Pisar no olhos lhes retira as asas. (o que aconteceu com meus óculos)

Tudo está uma escuridão só. Eu e e meus óculos escuros de grau, nos esforçamos muito pra chegar a barraca.
Abro o zíper, penso, se estes óculos caírem lá dentro nunca os encontrarei esta noite.
Deixo-os então junto a porta. Entro. Preciso mesmo do que procuro? Não sei. As vezes tudo parece uma armadilha do destino.
Achei! Tomo meu "remédio" e procuro a porta novamente.
... CRACKKK!
Meu olhos!
Meus olhos!
Como pude?
Como pude pisar, sem olhar, no meu companheiro de tantos anos?
Como pude esquecer dele, que me ajudou a encontrar a porta?
Agora o levo sem suas asas, em minhas mãos, amputadas.
Pisar nos olhos lhes retira as asas.
Fiquei triste por um momento. Mas logo meu "remédio" fez efeito e comecei a saltitar pelo caminho.
Terei novos olhos com novas asas!
Estou num festival de rock e vou curtir o momento! mesmo que não o veja bem, eu o sentirei.
E estes olhos serão santificados, como arte, em minha parede!