Loading...

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Sobre sonhos 1

Acordo de outro sonho,
E tento novamente me lembrar de tudo que sonhei,
Penso no tempo do eventos e nas mudanças bruscas de cenário e figurino.
Me lembro de que o tempo que dormi não foi suficiente para a conclusão de tudo que se passou.
De repente penso numa notícia que li,
De um homem, que sonhou viver setenta anos.
Casar, criar filhos e ver netos.
Prosperar nos negócios e,
Ao envelhecer, se agarrar tanto a vida quanto quando era uma criança.
Não desejando morrer.
E ao morrer no sonho, acordou no outro dia.
Com vinte e poucos anos,
Solteiro e sem filhos.
Disse a notícia que ele teve que fazer terapia,
Pra lidar com o fato de que teria de viver tudo de novo.
E com a possibilidade muito mais provável de ser tudo diferente.
Sem a mulher amada, sem filhos e prosperidade.
Sem chegar a velhice.
Mas o que mais me espanta é que ele viveu tudo isso sem perceber que era só um sonho.
E que isso pode estar acontecendo com qualquer um de nós.
E de repente acordarmos velhos,
Nos lembrando de um sonho sobre um dia em que jovens escrevíamos sobre sonhos.
No fim tudo pode ser um devaneio da mente.
O acordar em si e o morrer.

2 comentários:

  1. Estou emocionada!!!
    Sonhar e pensar é algo sublime e confortador.
    Como é bom sonhar.
    Adoro ler o que voce escreve.
    bjs. Heudes.

    ResponderExcluir
  2. pq precisamos de pesadelos? essa é a morte da arte do artista: o pesadelo. criamos e terminamos, como numa obra.

    ResponderExcluir