Loading...

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Lá fora é melhor.

Olhou para o redor e sentiu o puro desespero. O cheiro de carne queimada, pólvora e óleo quase o cegavam. A sua frente os restos da menina nativa semi-despedaçada. Arrastou-se para mais perto engasgando na constatação da sua morte. Cuidara dela por quase sete semanas, e agora perdia a batalha para uma morte simplesmente evitável. Quem bombardearia um hospital de refugiados? Fechou os olhos com força e viu tudo se iluminar, escurecer e desaparecer.
 No silêncio escutava vozes:'' Ele está desperto". "pode nos ver".
 Atordoado ele olhava as faces mascaradas por trás do vidro. Estava nu, entubado, inerte e flutuando em um líquido translúcido. As pessoas do lado de fora do vidro pareciam cientistas ou médicos. Um deles tinha uma espécie de tablet.
 -Você precisa ficar calmo, seu tempo ainda não está nem na metade, ainda faltam mais de oito horas pra acabar seu turno.
 Aos poucos começou a lembra-se de tudo.
O ano é 3015, o planeta vive uma longa escassez de água e comida desde a estagnação do crescimento vegetativo e a descoberta do inibidor de desgaste corporal.
A população é de 10 bilhões de habitantes fixos, mas acontecem fugas e invasões. O governo é democrático e direto. As pessoas governam tudo em conjunto de onde estiverem no mundo inteiro. A economia tem agora outro sentido, de equilíbrio e aproveitamento máximo de recursos. As diferenças tecnológicas entre habitantes são ínfimas. Os males que permanecem são psicológicos , psicossomáticos , comportamentais, e a escassez de recursos.
 Para isso criou-se a grande a grande comunidade terapêutica. Onde os indivíduos não mais ficavam presos por anos, mas faziam pequenas internações terapêuticas de no máximo três dias.
 Como um terço da população do planeta tem problemas com um ou outro mal da época se tornou vital e altamente incentivada a participação das pessoas nos programas de saúde.
 Também é nos programas de saúde que surgem e são catalogadas a  maioria das grandes idéias , possibilitando um elevadíssimo aumento de patentes públicas e inventos consequentes.
 Lembrou-se de o quanto a realidade do século XXXI é individual, impessoal, calma. Não há mais guerras desde o fim do governo tirano e a implementação da Comunidade Virtual para o Saneamento Planetário Constante. A separação máxima das pessoas, restringindo-as no máximo a convívios familiares(agora com conotação totalmente diferente, chamado de círculo íntimo) e sociais com círculos pequenos, ao mesmo tempo que uma forte identidade coletiva de responsabilidade, diminuiu os prazeres coletivos, mas aumentou para importância máxima a harmonia individual e também do círculo íntimo. Se a harmonia era quebrada ou sentida por qualquer parte procuravam o saneamento. Dois ou três dias e voltavam com novas esperanças e as vezes descobertas.
 -Descobri a cura para o Ébola!!! (disse através da máquina colada em sua testa). -Vivaaaaa!!! -Todos comemoraram. O Ébola havia sido considerado extinto, mas sem cura, através o sacrifício de muitas vidas havia muitos anos, os últimos a morrer se confinaram numa ilha e esperaram a morte para que a ilha fosse higienizada e o vírus desaparecesse do planeta. Mas sua informação era processada na mente coletiva da comunidade terapêutica. Encontrar a cura era fundamental para anular a possibilidade de o vírus ser novamente descoberto em alguma falha. Todas as possibilidades conhecidas eram colocadas assim na mente coletiva.
 -Seus sinais estão em ordem , deseja abortar a terapia ?
 - Negativo.- Havia se entristecido com uma de suas filhas. Coisa hoje considerada sem valor, mas ali, de máxima importância. As diferenças entre jovens e adultos são poucas e é difícil evoluir nesse sentido. Os filhos, ou reposições(como são chamados os que repõem fugas, e excepcionais mortes por acidentes) ficam toda infância  e adolescência restritos ao estudo, são monitorados 24 hs por dia e não ficam nunca com os genitores, pois são dados aos que obtém melhores resultados no processo e é uma grande honra. É expressamente proibido o processo de reprodução. As pessoas são estéreis e o sexo é livre e plenamente regulamentado. Parafilias, e distúrbios são obviamente tratados na comunidade e apenas quando atrapalham a vida nos pequenos círculos.- Mais oito horas e poderei ter um abraço e uma conversa calma com minha reposição!
-Entendido! Reconectando mente individual na mente coletiva em 3,2, 1.
 Tentava se concentrar em resolver os problemas. Sabia que iria abrir os olhos e o tempo não teria passado. Teria agora de divulgar a cura do Ébola e denunciar o genocídio de um campo de refugiados. Correr contra o tempo e a guerra. Com fome. Sede. Ferido e com os sentimentos em frangalhos pela morte da menina. Quem seria aquela menina fora da mente coletiva???
 Acalmou-se e lembrou-se da alegria do seu presente real. De que vive em um mundo melhor. Que ainda resolve seus problemas com o passado e o presente dentro de uma comunidade terapêutica com infernos éticos e físicos.
 Mas num agora melhor.
 Lá fora é melhor...
 Abriu os olhos e percebeu que se continuasse chorando a menina, perderia a chance de salvar todas as outras pessoas. Tinha sempre na mente um pesadelo antigo, onde todos tiveram que ser mortos pra acabar com o vírus. Vivia para não deixar aquele pesadelo se realizar.
 Coletou o sangue da menina em dois béqueres, lacrou, limpou o suor avermelhado dos olhos e começou a correr...

Nenhum comentário:

Postar um comentário